e se eu dissesse que nós temos o poder de influenciar a nossa felicidade e bem-estar?

O que é que nos faz felizes? O que é que se entende por felicidade? Qual o caminho para a alcançar a felicidade?

Quem nunca se questionou sobre o que é isto da “felicidade” que atire a primeira pedra e na realidade, este conceito não é assim tão simples. Independentemente da complexidade  que este pode ter, uma coisa não podemos negar: a felicidade trata-se de um sentimento subjetivo e como tal, difere consoante vários fatores e pessoas.

Com isto quero dizer que, quando falamos de felicidade, temos de ter em conta que esta depende de vários aspectos da nossa vida, da nossa atitude, factores hereditários, cultura, idade, entre muitos outros, que influenciam de forma distinta, cada um de nós. Paralelamente, os nossos comportamentos individuais parecem ter uma grande importância, no que toca ao nosso bem-estar e felicidade.

O conceito de bem-estar, é um conceito bastante amplo. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), quando avaliamos o bem-estar, apesar deste estar relacionado com aspetos ligados à saúde, concentra-se principalmente em aspetos referentes à qualidade de vida, bem-estar físico e mental. Contudo, hoje em dia, já se atribui uma grande importância a uma abordagem holística, incluindo o nosso corpo, mente e espírito quando falamos deste tema.

Partindo da importância dos nossos comportamentos individuais, a verdade é que cada um de nós vê o mundo de forma diferente e uma mesma situação pode ser interpretada de várias formas, consoante a nossa perspectiva, a nossa visão. Como tal, uma mesma situação pode ser negativa para uns e positiva para outros, tudo depende da forma como a encaramos.

Aquilo que aprendi, tendo em conta todas as influências que se atravessaram no meu caminho, é que uma mudança de atitude e comportamentos perante a minha vida, como também uma perspetiva mais positiva, tiveram uma influência fulcral no meu bem-estar e felicidade. O que resultou, por sua vez, numa atitude e emoções também elas mais positivas que contribuíram para uma Filipa mais otimista, esperançosa, corajosa e feliz.

Contudo, considero que esta “mudança de chip” não é assim tão simples e imediata, principalmente, porque tendemos a investir na busca pela perfeição. Por esta razão, é que acredito que o primeiro passo é perceber que a perfeição não existe. É muito importante aceitarmos que a nossa vida vai ter sempre situações positivas e outras mais negativas e que a felicidade não é algo verdadeiramente constante. O que devemos procurar não é uma felicidade 100% linear (até porque isso é algo utópico), mas sim um equilíbrio e um maior bem-estar, de modo a conseguirmos enfrentar e superar com um maior sucesso, as adversidades normais do nosso dia-a-dia.

Depois de percebermos isto, é que podemos considerar que as nossas atitudes têm um papel decisivo e que nós temos o poder de mudar “o nosso mundo”, se o quisermos, verdadeiramente.

Sei que parece daquelas frases já feitas, dos livros de auto-ajuda , mas acredito fortemente que  ao percebermos que temos o comando da nossa vida, conseguimos proporcionar esta “mudança de chip” que falei anteriormente. Acredito, porque foi o que aconteceu comigo.

Depois de deixar de atribuir a culpa de todos os aspectos negativos presentes na minha vida aos outros e de perceber que tudo depende da forma como eu encaro os meus problemas, a mim mesma e tudo o que me rodeia, acabei por influenciar positivamente a minha auto-estima, autocompaixão, relações positivas com os outros e com o ambiente, a reduzir o stress e ansiedade,  e a proporcionar uma maior conexão comigo, com os outros e com o Universo.

Acredito então que existem vários factores, uns mais subjetivos que outros, que quando interligados nos proporcionam um maior bem-estar e felicidade, como também, que estes dependem e são influenciados por nós e pelo caminho e sentido que queremos dar à nossa vida.

Filipa

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll.
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.

Nelson Mandela

 

 

Write a Comment